Tag Archives: CAVE

Artigo científico

VR-Commerce: Reflexões sobre o Futuro do Consumo Através de Lojas em Realidade Virtual

Autor: Eduardo Zilles Borba
Modalidade: Artigo em congresso regional (Intercom Sudeste)
Local: Volta Redonda (Unifoa)

Resumo: diante da variedade de possibilidades para a integração de ambientes de Realidade Virtual (RV) em nossas atividades socioeconômicas e culturais, neste trabalho lançamos uma reflexão inicial sobre futuros caminhos para a experiência de consumo através de lojas imersivas, também chamada de Virtual Reality Commerce (VR-commerce). Problematizamos a exploração do usuário neste ambiente imersivo colocando uma série de hipóteses que nos auxiliam a refletir sobre os possíveis aspectos geradores de impacto na experiência de compra. Dito isto, torna-se fundamental questionar quais seriam os modelos estéticos e funcionais para a criação de um modelo eficiente de comércio eletrônico em plataformas totalmente imersivas? Em suma, podemos indicar que, com base em experimentos empíricos apresentados por Lohse; Spiller (1999), Hui et al. (2013), Slater et al. (2013), Zilles Borba; Zuffo (2016) e Kang (2017), usuários preferem uma combinação de cenários 2D e 3D para realizar compras na RV.

Link para anais do evento: http://portalintercom.org.br/anais/sudeste2017/resumos/R58-0193-1.pdf

ARTIGO COMPLETO
Artigo científico

Estudos sobre a experiência publicitária com dispositivos de realidade virtual

Autor: Eduardo Zilles Borba
Modalidade: Artigo Científico em Congresso Nacional (ABCiber 2017)
Local: São Paulo (ECA-USP)

Resumo: o trabalho debate a experiência do usuário que visualiza imagens publicitárias numa simulação de espaços urbanos em Realidade Virtual (RV). Além de investigar o memory recall – lembrança – das marcas espalhadas no cenário eletrônico, é lançado um olhar crítico aos possíveis impactos gerados pelos efeitos imersivos de diferentes dispositivos de RV no processo de recepção da mensagem publicitária: a) head-mounted display, b) CAVE) c) monitor (PC). Para conduzir o experimento criou-se um ambiente 3D que simula espaços urbanos propícios para a inserção de anúncios e, também, realizaram-se testes com usuários que navegavam através da perspectiva da primeira pessoa. Ao final verificou-se que as experiências em dispositivos caracterizados pelo elevado grau de imersão foram aqueles em que as pessoas tiveram menor lembrança das marcas.

ARTIGO COMPLETO
Artigo Científico

Tecnologias e dispositivos imersivos: captação, integração, percepção e ação no contexto publicitário

Autor: Eduardo Zilles Borba, Francisco Mesquita e Marcelo Zuffo
Modalidade: Artigo científico em congresso internacional (14° Encontro Internacional de Arte e Tecnologia #14.ART)
Local: Universidade de Aveiro (Portugal)

Resumo: Este artigo faz uma reflexão sobre as experiências do indivíduo que visualiza anúncios publicitários espalhados por espaços (urbanos) simulados em diferentes contextos de realidade virtual imersiva. Neste sentido, além de se preocupar com o estudo da visibilidade, clareza e impacto das mensagens publicitárias afixadas nas cidades virtuais que imitam suas versões reais (cor, contraste, tipografia, escala, etc.), o ensaio lança um olhar crítico aos possíveis efeitos de imersão proporcionados por dispositivos tecnológicos com diferentes características: um head-mounted display (Oculus Rift), um sistema em CAVE (Caverna Digital da USP) e um ecrã tradicional (personal computer). Para a realização desta reflexão os autores criaram um ambiente tridimensional que simula espaços urbanos propícios para a afixação de cartazes publicitários, através do qual o utilizador navega na perspectiva da 1ª pessoa e movimenta sua cabeça (e olhar) para as direções que bem entender. Em suma, com este exercício empírico pretende-se realizar dois objetivos: a) compreender os fatores estéticos e/ou narrativos que levam um sujeito a dar atenção a um cartaz publicitário afixado em simulações virtuais de cidades reais; e b) verificar se os efeitos de imersão produzidos por diferentes modelos de realidade virtual são benéficos ou prejudiciais à percepção da presença de mensagens publicitárias no contexto em que se está inserido.

ARTIGO COMPLETO